06 setembro 2012

parar

esta parte não tem poesia nenhuma, aviso-te já desde o início, se estás à espera dum final feliz ou de um caminho para um final feliz não é aqui, encerrou, fechado para obras, embargado, o que quiseres,
a verdade é que depois o carlos afinal já quis o meu número e já quis saber a que horas vinha correr e inclusive, esta é que me custou mais, já quis saber o quanto é que eu corria, para depois, uns dias a seguir, dizer-me Não te vi passar ainda, fizeste o teu percurso todo?, como se fosse meu personal trainer ou como se tivesse algum direito de regular as corridas que eu dou, mas afastei essa irritação para o cantinho esquerdo da minha cabeça, não queria ser desagradável, afinal, estava, ainda, disponível,
cometi o erro de lhe dizer que tinha escrito isto, portanto é provável que me venha pedir satisfações ou que deixe outro comentário anónimo a este post como o último que está no outro, ainda por cima, deixou esse comentário depois de largar a bomba do esperoquenãoteimportesmaseusoucasado, esse tipo de bomba largada assim com tom despreocupado a fingir, na verdade a sondar a reacção, que foi nula, fiquei parva, boca aberta a olhar para o nada, (estas coisas acontecem mesmo?), 
claro está que o interesse que até aí existiu rapidamente voltou à estaca zero, com o acréscimo de incredulidade e alguma repulsa, para ser sincera, é um homem bonito, de certeza que tem uma mulher bonita, porquê?, porquê?,
curiosamente, nunca mais o vi, não sei se por intencional desencontro ou por feliz coincidência, 
fim

2 comentários:

Anônimo disse...

Tão ingénua...

mary disse...

marta, marta...
estou de boca aberta. esta blogosfera anda virada do avesso nos ultimos dias... ou então eu sou ingenua tambem e só me apercebi agora que sempre foi assim!