09 setembro 2012

sonho

hoje é dia de resultados de candidaturas e eu acordei com restos de um sonho a acelerar-me o coração,
estava atrasada para o primeiro dia de aulas porque o instituto superior técnico é enorme e eu nem sequer sabia a minha turma, depois lá reparei nuns papéis afixados e vi que era da turma 23 e que tinha aulas agora de manhã na sala número 3, que não só era noutro piso, como noutro bloco completamente diferente daquele em que estava, fui a passo apressado e entrei na sala, pedi desculpas ao professor, ele continuou, impávido e sereno, só a meio da aula reparei que afinal era uma professora, a turma era quase só rapazes, olharam-me com interesse, que eu agudamente ignorei, prestei atenção ao quadro que já estava rabiscado com equações, o professor, a professora, perdão, a falar de termos matemáticos do secundário, o pânico a subir-me goela acima, merda, já não me lembro de nada,
afinal estamos num anfiteatro, e lembro-me de ter recebido um e-mail enviado a todos os caloiros duma veterana que ia estar vestida com uma t-shirt amarelo fluorescente no anfiteatro e quem a visse, ou tocasse, talvez, primeiro tinha direito a uma viagem não sei onde e isenção da praxe mais pesada, e eu cheia de medo, da praxe, da veterana, vi-a logo, estava num camarote, sim, o anfiteatro tinha camarotes, oposto ao meu, no meio disto tudo pensei, porque raio é que terminei uma licenciatura em música e vim parar a engenharia no técnico?
o despertador tocou a meio do meu sonho, mas eu ignorei-o para sonhar mais um bocadinho,
quando acordei definitivamente, lá respirei fundo, afinal já vou para o quarto ano de faculdade e a matemática há muito que ficou irremediavelmente para trás.

Nenhum comentário: