10 janeiro 2013

sobre taxis

apanhei dois taxis hoje, os condutores eram os dois gagos, como se não estivessem habituados à simpatia do passageiro alheio, embrulhavam-se às vezes no início das palavras,
o primeiro ouvia a antena 2, gostava de música clássica, apesar de nem sempre a antena 2 passar música de qualidade, vinha a ouvir um quarteto de cordas, uma coisa contemporânea, gostei, achava que as escolas de condução deviam ensinar os alunos a ter noção dos outros, Em vez de debitarem as matérias todas que vocês lá aprendem, este radar na avenida de ceuta só apanha até 50 metros depois, aqui já pode acelerar à vontade, hoje parecia que o céu ia desabar em benfica, mas está tudo bem porque os lençóis freáticos ainda estão fraquinhos nesta altura do ano, e bicicletas, não há condições para se andar de bicicleta em lisboa,
o segundo, Não há dinheiro, vocês então, os estudantes, deve ser mais complicado, rendas de 500 euros, mais a faculdade, mais os outros gastos, tudo contadinho ao fim do mês, antes apanhava aqui muitos jovens que iam para o bairro, agora, agora, olha, jantam todos em casa ou vão lá ter depois do jantar, pagam um absurdo para estudar e depois saem para o desemprego, lá fora é que se está bem, mas não há nada como portugal, a luz de lisboa, alcântara antiga, o pão, o chouriço, o azeite, o vinho, o clima, os estrangeiros vêm cá e dizem I love portugal, pudera, 10º no inverno, andam de t-shirt e bermudas na rua,

Um comentário:

mary disse...

Nem mais, não sei que raio de Inverno é este, também tenho saído à rua de t-shirt...