29 outubro 2013

efémero

depositar a nossa vida na crença de uma existência conjunta
porque é diferente
porque é especial
porque nunca me senti assim

quem está de fora sorri, mesmo não acreditando mas sabendo que com o tempo pode vir a acreditar. na realidade:

efémero.

dói. ah, pois dói.
mas somos um antes de sermos um mais um e, se fizermos uma pausa à nossa dor porque enquanto estamos nela, turva-nos os olhos, aperta-nos a garganta, enche-nos a cabeça, já chegámos muito longe sendo só um. sem precisar da soma.

eu tenho sorte, muita sorte. arrisco-me a dizer que é desta.
mas para quem ainda não encontrou, porque vais encontrar, respira. um dia tiram-te o chão debaixo dos pés e tudo isto se revela o que é: efémero.

Nenhum comentário: